quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Sodade Danada Gerson Amaro


Sodade Danada Gerson Amaro

Eu sou caipira e sou do mato adentro
Por momento vou lhe explicar
Que a saudade é um advento
Que só o tempo pode então matar
A minha terra é o meu chão batido
Bate comigo, no mesmo pulsar
Cheiro de terra fértil e tão prenha
Fogão de lenha para me esquentar

Café passado e o cheiro presente
Futuro a frente pra modi pensar
Essa sodade danada de grande
O peito expande querendo voltar

Enquanto espero a dose de coragem
Faço passagem com meu violão
Num dedilhado vejo até a imagem
e uma friagem nos dedos da mão
Minha saudade é santa e é caipira
E me inspira mais uma canção
Eu fecho os olhos e fico pedindo
Deus me ouvindo numa oração

Café passado e o cheiro presente
Futuro a frente pra modi pensar
Essa sodade danada de grande
O peito expande querendo voltar

Uma cachaça e um quinado amargo
Diz que meu fardo nem é tanto assim
É que a saudade toda noite brilha
Radio de pilha vem logo por fim
E numa moda eu viajo de volta
Abro a porta , porteira pra mim
Pois na cidade sou mais uma rosa
Em uma prosa longe de um jardim

Café passado e o cheiro presente
Futuro a frente pra modi pensar
Essa sodade danada de grande
O peito expande querendo voltar

quarta-feira, 25 de dezembro de 2019

Data Especial

Aproveitando uma ideia de uma moda estrangeira , dei meu pitaco 😊
Data Especial
Gerson Amaro

Cidade grande, no final do ano
Longe do que amo, eu fui viajar
Moro na roça, lá no meu ranchinho
O meu lugarzinho, que eu chamo de lar
Nos meus parentes, na grande  cidade
Fui matar saudade, eu fui visitar
Em uma festa destas tão divina,
Festa natalina , fomos festejar.

Levei meu filho, o meu caçulinha
E tudo que via, vinha perguntar
Maravilhado com a novidade,
Uma outra verdade, eu fui lhe mostrar
Levei  num shopping, e tive a surpresa
Sua esperteza, quis me ensinar
Ele então via, o shopping tão lotado
O povo espalhado, querendo comprar

Com muita gente num aglomerado
Fila em todo lado para enfrentar
Lá tinha fila para pagamento
No estacionamento
Para estacionar
Tinha até fila para o banheiro
Fila pra dinheiro no banco sacar
Tinha até fila pro Papai Noel
E o caçula Miguel veio me questionar

Papai querido vejo muitas filas
Vejo até famílias de pé sem sentar
Mas o que eu quero saber na verdade
Se a festividade irão respeitar
Qual é a fila, papai que eu enfrento
Pois um comprimento não pode faltar 
Se tá marcado até no calendário
Um grande aniversário , parabéns vou dar

O Nascimento de Jesus Querido
Meu bondoso amigo , ninguém foi lembrar
Infelizmente a Data Especial
É só comercial, desculpa pra gastar
Não tinha fila para ver Jesus
Que sofreu numa cruz , só para nos salvar
Qual é a fila que anda enfrentando ?
Passou mais um ano , vamos repensar

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

Doze mês Gerson Amaro

Doze mês
Gerson Amaro

Minha casinha no sítio saudade
Foi construída com meu coração
O seu reboco é barro de verdade
O piso é feito puro vermelhão 
Fogão de lenha perfuma a cozinha
Sua fumaça segue para o céu
Tem uma flor junto da minha santinha
Em homenagem tiro meu chapéu

Aqui que mora a felicidade
Aqui descansa o amigo caipira
Meu lugarzinho é simplicidade
E todo canto uma moda inspira
Um fusca verde
Na área guardado
E um valmet ano oitenta e seis
Aqui não tem dinheiro ajuntado
Mas sou feliz assim os doze mês

As criação conheço pelo nome
Que me conhecem só pelo meu cheiro
A natureza mata minha fome
O meu trabalho espalho no terreiro
Uma porteira protege meu mundo
Minha janela é minha televisão
Um sentimento que é tão profundo
Feito o poço lá no meu porão

Aqui que mora a felicidade
Aqui descansa o amigo caipira
Meu lugarzinho é simplicidade
E todo canto uma moda inspira
Um fusca verde
Na área guardado
E um valmet ano oitenta e seis
Aqui não tem dinheiro ajuntado
Mas sou feliz assim os doze mês

O por do sol parece um cinema
Onde Jesus é sempre o diretor
A lua chega com o seu dilema
E não encontra o sol, seu grande amor
As estrelinhas são as convidadas
E os pirilampos vem pra namorar
E neste brilho a caneta afiada
Faz uma moda pra eu poder cantar

Aqui que mora a felicidade
Aqui descansa o amigo caipira
Meu lugarzinho é simplicidade
E todo canto uma moda inspira
Um fusca verde
Na área guardado
E um valmet ano oitenta e seis
Aqui não tem dinheiro ajuntado
Mas sou feliz assim os doze mês

Surpresas e Promessas

Surpresas e Promessas
Gerson Amaro

Qual o sentido
De uma promessa
Que é em vão ?
Sonho contigo
Sob a luz de uma oração
Sou a surpresa
Que ninguém te prometeu
Sua beleza...
É a luz que Deus me deu...

Toda luz do sol
Seria pouco pra brilhar ...
Tôdo o céu
Toda nuvem, todo ar ...
Todo universo
Caberia em seu olhar
Quando me olha
Me afogo no seu  mar
Cheiro de infância
Meu passado te escolheu
Doce lembrança
Seu presente hoje sou eu
Quero um futuro
Um amor que anjo sente ...
Seja feliz ...
Serei feliz ...
Pra sempre !

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

Flor do Sertão Gerson Amaro

Flor do Sertão
Gerson Amaro

Ela era flor ...
Do começo ao fim
Sua educação
Um grande jardim
Um sorriso lindo
E sua atenção
Virou hoje tema
De mais um poema
De meu coração

Flor de sobrenome
Quase oração
O nordeste é lindo
Tens sua razão
Um flor tão linda
Fez morada irmão
Simples sobrenome
Simples que comove
Minha inspiração

Sou um jardineiro
Da escrita a mão
Planto poesias
Faço irrigação
O simples me encanta
Encantado então
Rosa sem espinho
Cruzou meu caminho
Rosa do sertão

Caboclo Cabra da Peste - GERSON AMARO

Caboclo Cabra da Peste - GERSON AMARO


Meu pagode é nordestino
Arrepare a emoção
Assunta estes meus verso
Nesta grande imensidão
Minha moda então começa
Deixo aqui a descrição
Meu nordeste minha viola
Minha vida minha historia
Minha eterna religião


Ariano Susassuna
Sempre minha inspiração
João Grilo e Chicó
Vivia de enganação
Enganou o cangaceiro
De um nó no cramulhão
Escrever, a sua vida
A fé na compadecida
O rei da imaginação


Meu mestre Luiz Gonzaga
Sempre foi Rei do Baião
Grande Lua foi o sol
Saudade imigração
Na seca daquela terra
Ele fez irrigação
Quanto pranto derramado
Asa Branca foi cantado
Como o Hino do Sertão


Patativa do Assaré
Escrevinhador dus bão
Versos na boca do povo
Bagagem do coração
Passarinho faz a rima
Mas esta em extinção
Saudade deste artista
O maior dos repentistas
Um poeta por missão


Jorge Amado fez historia
Até na televisão
Livro filme e teatro
Seu mundo , sua porção
A Tieta do agreste
Volta a terra com tostão
Salve grande Jorge amado
Sobrenome bem cravado
No verso da perfeição


Eu termino meu pagode
Como é a tradição
Não falei um grão de areia
No deserto da ilusão
Nem uma biblioteca
Cabe todo o meu sertão
Salve sempre o Nordeste
Caboclo Cabra da Peste
Nossa eterna gratidão

sábado, 7 de dezembro de 2019

Todo Mundo Igualado

Hoje saiu mais uma
Todo Mundo Igualado
Gerson Amaro

Hoje eu conto a diferença de dinheiro
Quem aqui o tempo inteiro gostaria de saber ?
O que o pobre tem na vida que ele vive
Se vive só no declive , e o seu jeito de viver ...
Então comparo a vida de um pobre amigo
Com um rico bem metido que acabei de conhecer
Em uma moda eu igualo o ser humano
Esse sempre foi meu plano e também meu entender

O amigo pobre vive numa casa boa
Bem do lado da lagoa que ele pesca pra comer
Em um ranchinho ele vive o dia inteiro
Com um pouco de dinheiro seu trabalho é colher
Em uma rede seu descanso é garantido
E a tarde com amigos eles juntam pra beber
O amigo rico trabalha a vida inteira
Pra no fim de sua carreira
Comprar o mesmo lazer

O amigo rico tem o dinheiro guardado
Anda de carro blindado
Com medo dele morrer
No fim do dia vai pra casa em seu descanso
Na cama o seu remanso nem tem tempo de viver
O amigo pobre trabalhou durante o dia
E agora sua alegria é chegar o anoitecer
Mesmo descanso mas em cama diferente
Mas com sonhos igualmente, juntos vão adormecer

No fim da vida não importa o adorno
E tão pouco o contorno que enfeitam pra você
No cemitério no alto é diferente
Mas é dentro do chão quente que se iguala pra valer
A sete palmos todo mundo é igualado
Meu pagode da o recado pra quem ama o poder
Até no céu seremos todos iguais
Não tem menos , não tem mais, mas entra só quem merecer

Bom dia , ótimo fim de semana a todos ...

www.gersonamaro.com

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Uma pequena palestra na escola de Lucianopolis , falando sobre simplicidade , E Ariano Suassuna e Jessier Quirino

Hoje pude falar um pouco de minhas poesias para jovens da escola de minha cidade , tive a oportunidade de falar sobre Ariano Suassuna e Jessier Quirino , falar sobre o caipira e sua simplicidade ,consegui emocionar e plantar a semente do amor e da poesia , que são minhas bandeiras principais ...
Valeu a pena , sempre vale 😊

Achados e Perdidos Gerson Amaro




Achados e Perdidos
Gerson Amaro

Hoje encontrei, nos achados e perdidos
Um sorriso escondido
Que veio me encontrar
Sorriso lindo, mas meio desconcertado
Um sorriso apagado que queria só brilhar
Seu endereço, era claro o coração
Mas a tal da solidão, era hoje o seu lar
Calma sorriso, em breve vai ver seu dono
E então seu abandono, vai pra sempre acabar


Segui em frente, nesta busca incessante
Sei que era importante, um sorriso ajudar
Pois o sorriso assassina a saudade
E é a maior das verdades, que se pode então contar
Peço que tenha cuidado e compromisso
Não se perde um sorriso
Mas hoje vou lhe roubar
Saiba que roubo seu sorriso num momento
Mas é sempre um argumento, de poder me aproximar

Sua pergunta, se o dono eu encontrei
Logo eu responderei, não precisa se preocupar
Caso meus versos tenha posto em seu rosto
E um sorriso for exposto, quero muito lhe mostrar
Pegue um espelho e encontre o seu sorriso
Este é meu compromisso de minhas rimas ajuntar
O seu sorriso lhe encontra na resposta
É então minha proposta
De mostrar o seu olhar

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Flor de meus sonhos Gerson Amaro

Flor de meus sonhos
Gerson Amaro

Você me aceitou em pedaços
E grudou o meu coração
Me juntou naquele abraço
Me separou da solidão ...

Chegou para somar minha vida
Subtraiu toda minha dor
Dividiu a nossa partida
Multiplicando o nosso amor

E é deste jeito
Vogais e consoantes assim
Frases e poemas escritos
Compondo esse nosso jardim

Flor de meus sonhos
Perfume que jamais esqueci
Seu cheiro está pra sempre em meu corpo
Sonho e escrevo por ti ...

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Outros Braços – GERSON AMARO

Outros Braços – GERSON AMARO

Quantas vezes
Me perdi te esperando
Por ai …
Quantas vezes
Eu cai em desenganos
Por aqui …

Quantas vezes eu tentei ser o meu tudo
Quantas vezes por você fui surdo e mudo
E achando que era tudo e sendo nada
Ai eu te esqueci …


Você acha que pode me evitar
Você acha que sem eu, não vai chorar
Eu me encontro toda vez que te procuro
Em meu cansaço
Você acha que mendigo seu carinho
Você acha sem ti eu sou sozinho
Eu me encontro toda vez que te procuro
Em outros braços

sábado, 23 de novembro de 2019

Uma cartinha a mais Gerson Amaro

Uma cartinha a mais
Gerson Amaro

Um certo dia no mês de Dezembro
Sai de casa para trabalhar
E no caminho parei no correio
Para um pacote então eu enviar
Em um cartaz colado na parede
Assim dizia :
Quem pode ajudar ?
Pegue uma carta de uma criança
E de presente lhe de esperança
Deus com certeza vai lhe abençoar

Peguei três cartas como é meu costume
Pois somos três também em nosso lar
Uma para mim e outra para esposa
E pro meu filho eu quis ensinar
Em uma carta pedia um carrinho
E numa outra caderno escolar
Mas na minha carta que então abri
Pedia algo que não esqueci
E fez então o caboclo chorar

Papai Noel não quero um brinquedo
Tambem não quero  lhe atrapalhar
O que eu peço , juro eu nunca tive
Sei que é difícil até de encontrar
Num orfanato estou quase dez anos
Essa cartinha quis lhe enviar
Hoje eu lhe peço o maior tesouro
Algo mais caro que próprio ouro
Uma família  para poder brincar

Passado um ano estou novamente
Outro dezembro eu vou ajudar
E no correio vim com minha família
Para cartinha de novo pegar
A diferença é outra cartinha
Junto das três que veio então somar
Nós adotamos , fomos mais que pais
Hoje eu trago um filho a mais
Nosso presente que Deus quis mandar .

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Roleta Russa - Gerson Amaro / Mariano Da Viola

Roleta Russa - Gerson Amaro / Mariano Da Viola


A vida é uma roleta russa
Girando o tambor da sorte
A mira é quem faz o acerto
E o erro é quem faz a morte
Acertei os tiros da vida
Mas um erro foi bem fatal
De que adianta acertar
Se sempre julgam só o final


Eu sei que errar meu amigo
Mas foi querendo acertar
Se acaso o erro foi grande
Queira então me perdoar
Já dizia o livro sagrado
Aquele que nunca inventa
Se quer perdoar uma migo
São sete vezes o setenta


Um erro não conserta um outro
isso é oque eu penso
Mas sei que um penso é torto
E humano é bem propenso
O perdão já pedia Deus
Não queira a Ele se igualar
Do mesmo jeito que me julga
Deus então vai também julgar


A vida é uma roleta russa
Girando o tambor da sorte
A mira é quem faz o acerto
E o erro é quem faz a morte
Acertei os tiros da vida
Mas um erro foi bem fatal
De que adianta acertar
Se sempre julgam só o final

sábado, 9 de novembro de 2019

DEGRAU DA VIDA – GERSON AMARO

DEGRAU DA VIDA – GERSON AMARO

E foi num estouro que água escorreu
O caipira nasceu , sem nenhum atalho
A parteira vizinha, foi quem fez o parto
E na cama do quarto fez o seu trabalho
E assim que começa o degrau da vida
Uma eterna subida , sem medo de nada
Pra aquele que crê e na fé se inspira
Bem vindo caipira, a sua nobre escada

Bem desde pequeno o degrau o acompanha
Sem tempo de manhã ele sobe contente
A velha escolinha feita de madeira
Um degrau de primeira ele sobre em frente
Ele então vai subindo de grau escolar
Resolveu estudar pra tentar a melhora
Diploma ganhado degrau de papel
Em seu rumo pro céu é mais uma vitoria

O degrau de terra em toda infância
Ficou na lembrança do jovem da roça
As subidas da enxada , hoje é faculdade
O carro e a saudade de uma carroça
Seguindo em frente subindo o degrau
Colação de Grau formou um doutor
Doutor continua sendo um caipira
Que ainda respira, essa escada de amor

O degrau derradeiro é rumo ao céu
Retiro o chapéu pra rimar o final
Aquele que sobe na honestidade
Tem eternidade , no celestial
O caipira da moda nasceu sem atalho
E seu nobre trabalho , foi muito importante
Saiba meu amigo que em sua jornada
Não vai ter escada daquela rolante

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

É show de Bola Gerson Amaro



É show de Bola
Gerson amaro

É show de bola
É show de bola
O filho da Mariquinha
E um Japonês na Viola

Mariano e Marcelo
Tempestade de emoção
O raio de uma primeira
Um Grave de um trovão
O vento que ali ponteia
Traz viola e violão
Tião Carreiro e Pardinho
Junta num rodamoinho
Essa Dupla na canção

É show de bola
É show de bola
O filho da Mariquinha
E um Japonês na Viola

A dupla Chapéu de Palha
O Olfato do caipira
Lá no Modesto Ranchinho
Humildade nois respira
Tem o Sangue Sertanejo
Essa dupla que me inspira
Uma volta no passado
Deixa o peito preparado
Prum pingão com sucupira

É show de bola
É show de bola
O filho da Mariquinha
E um Japonês na Viola

O pagode então assunta
Essa dupla de cantor
Um festival que ajunta
Um padrinho rimador
A caneta que escreve
Tem azul na sua cor
Meu Deus muito obrigado
Dois amigos , dois juntados
Pelas bênçãos do Senhor

É show de bola
É show de bola
O filho da Mariquinha
E um Japonês na Viola

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Me fechei Gerson Amaro

Me Fechei
Gerson Amaro / Nany Rocha

Me fechei para o amor
De tanto que me abri
Me lembro tanto da dor
Que até me esqueci

Não esqueço do passado
Mas traço o meu presente
Que tiver bem ao meu lado
Não vai ter amor ausente

Me fechei para o amor
Mas quem sabe ele volta
Quando fecha uma janela
O amor abre uma porta

Me abri pra solidão
Mas eu nunca me tranquei
A chave de um coração
É cantar um bom refrão
Por isso hoje cantei

Um presente do Passado Gerson Amaro

Um presente do Passado
Gerson Amaro

Um senhor de uma certa idade
Numa praça fazia sua hora
Uma moça bonita e novinha
Andava na linha com uma senhora
Saia curta e roupa apertada
A menina ofertava suas pernas de fora
O senhor então fez uma prosa
Ofertou uma rosa sem mais a demora

A novinha sentiu ofendida
Com a rosa que ele lhe deu
Meu amigo olha sua idade
Já esta na saudade, mas não percebeu ?
Será que não conhece o ditado ?
Que já foi falado escute mais eu
Até acho o senhor muito belo
Mas lugar de velho é somente o museu

O senhor de cabelo bem branco
Riu daquela menina novinha
“Entreguei a rosa em sua mão
Mas o meu coração escreveu noutra linha
Um bilhete estava junto dela
Essa rosa amarela , não foi pra mocinha
A senhora que esta do seu lado
Merece o agrado , e esta moda minha”

A menina ficou em silencio
com vergonha ,daquele barraco
A vergonha que aparecia
Ela até se escondia no próprio buraco
O presente venceu o passado
O futuro falado veio num pitaco
O senhor disse então a menina
Ser velho é sina , mas não sou velhaco

sexta-feira, 1 de novembro de 2019

Moda para o concurso de marchinhas sertanejas 2020

Prosa Boa – GERSON AMARO

Eu tive um sonho neste carnaval
Eu fui ao céu mas logo eu voltei
Eu vi um encontro fora do normal
E pra você hoje eu cantarei
Eu vi no sonho o Tião Carreiro
Na prosa boa com o Seu Cartola
Eles faziam um samba bem maneiro
Com um pandeiro e uma viola

Oi paixão ...
Hoje a rosa resolveu falar
Eu trago todo o meu coração
Hoje meu samba faz você dançar

Oi paixão ...
Hoje a rosa resolveu falar
Hoje a viola disfarça e chora
De alegria por poder sambar

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

A cobra e o Vagalume

A cobra e o vagalume – Gerson Amaro

Eu conto a moda da cobra e o vagalume
Como é o meu costume , resolvi aqui contar
Eu vou juntando as vogais e consoantes
Como eu nunca rimei antes essa historia eu vou rimar
Diz essa historia e o inseto só voava
E também alumiava , por onde ira passar
Mas a serpente , que nunca teve a vergonha
Usou de sua peçonha pra minha moda envenenar

A peçonhenta perseguia o coitado
Todo dia e todo lado ela vivia a caçar
O vagalume vivia sempre confuso
Voava em parafuso para tentar escapar
Um certo dia o vagalume resolveu
Já que nunca entendeu resolveu já perguntar
Eu não entendo porque eu sou perseguido
Se eu nunca fui comido em sua cadeia alimentar

Aquela cobra com veneno respondeu
A resposta então lhe deu , então eu pude matutar
Sei , vagalume , que não é minha comida
Mas sua luz acendida não parava de brilhar
O meu chocalho não acende e faz barulho
Talvez seja por orgulho , eu só penso em lhe apagar
O vagalume triste com essa resposta
Fez então sua proposta para a paz então vingar

Cobra amiga, minha luz é só por fora
Mas eu te respondo agora , qual a luz que faz brilhar
A minha luz, brilha só por um momento
Mas a luz que vem de dentro , jamais vai se apagar
Cultive a luz de dentro do seu coração
Não deixe a escuridão , na vingança então reinar
Seja o sol que brilha no escuro profundo
Brilha para todo mundo, e nada pode o igualar

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Sinal de Ocupado Gerson Amaro

Sinal de Ocupado
Gerson Amaro

O passado me ligou
Mas eu nunca atendi
Ele nunca retornou
Nas vezes que eu sofri
Me mandou uma mensagem
Na hora eu deletei
Foi um ato de coragem
Pois eu nunca te liguei

O presente me importa
Um futuro com alguém
Do outro lado da porta
Um passado sem ninguém
Hoje não atendo mais
Quem não me acrescenta nada
Sou sinal de ocupado
Não atendo o passado
E nem mais sua chamada

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

Derrota do Carreiro Gerson Amaro

Derrota do Carreiro
Gerson Amaro

Meu vovozinho que saudade que tenho
Vai aqui o meu empenho pra cantar sua verdade
Toco viola levo firme essa moda
Pois meu peito ninguém poda quando eu falo de saudade
Hoje eu canto uma história me contada
E a lágrima ordenhada me ajuda no refrão
Quando eu canto lembro então do seu carinho
Saudade meu vovozinho carreiro desta canção

Um certo dia meu vovô saiu bem cedo
Um caipira não tem medo da chuva e do trovão
Pela fazenda cuidando de seu trabalho
Onde nunca teve atalho um soldado do sertão
Mas neste dia meu vovô não viu vitória
O triste desta história me comove por demais
Sua derrota foi ver toda sua boiada
No chão tudo espalhada , tirando a sua paz

Meu vovozinho de joelho foi caindo
E a lágrima saindo se mostrando um sofredor
Sua boiada com um raio vingativo
Foi então o tar motivo e também a sua dor
Avô querido a saudade que canto
Se mistura ao meu pranto, não esqueço nunca mais
A sua fala soluçando de emoção
Pedia então perdão Por não entender os animais

terça-feira, 22 de outubro de 2019

Exemplo de Pai - Gerson Amaro

Exemplo de pai
Gerson Amaro

Eu caminhava pela rua da cidade
Onde a saudade aperta o coração
Sou lá da roça onde é minha verdade
Minha metade sempre vai ser o sertão
E na cidade seguindo o meu caminho
Vi um carinho que chamou minha atenção
Um vendedor vendendo água num carrinho
Mais um espinho no meio da multidão

Era um carrinho bem pesado meu amigo
Pensei comigo que tamanha judiação
O sol bem forte era feito um castigo
Flagelo antigo pra quem busca o seu pão
Me aproximei para gastar o meu dinheiro
Meu companheiro cansado fez sua ação.
Um objeto pendurado num chaveiro
O tempo inteiro chamava minha atenção

Uma chupeta pendurada ali do lado
Achei engraçado e fiz a ele uma questão
Porque amigo o objeto colocado ?
Quem é culpado por tamanha distração ?
Mas meu amigo respondeu com um sorriso
Não é bem isso que explico pro irmão
Quando eu olho pra chupeta de meu filho
Lembro do brilho que me espera no portão

Dizia ele que a chupeta o lembrava
Que não pesava o carrinho e o empurrão
Que na sua casa um inocente o esperava
Ele empurrava com sorriso na feição
Mais um exemplo e que eu tomo na escrita
A minha lida é rimar a emoção
Aquele pai e sua luta tão sofrida
Mostrou que a vida sem espinho é ilusão

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Cão Peão - Gerson Amaro

Cão Peão
Gerson Amaro

Hoje conto uma história
Muito triste de alembrár
Peço perdão ao amigo
Eu preciso confessar
A natureza de um homem
Ninguém consegue evitar
A vingança nunca é plena
Mata alma e envenena
Escute o que eu vou contar


Eu tinha um cachorrinho
Que eu peguei pra cuidar
Curei as suas feridas
Que a vida foi lhe plantar
O cachorrinho vingou
E começou me ajudar
Meu parceiro na fazenda
Meu amigo me entenda
Eu choro só de cantar

Do lado do meu cavalo
Nois dois andava de par
Ajudando minha lida
Com gado para cercar
Meu cachorrinho Peão
Um nome pra respeitar
Mas uma onça ligeira
Numa noite traiçoeira
Resolveu nos separar

A onça foi bem covarde
Quando foi lhe atacar
Pelas costas e dormindo
Nem deu para eu salvar
Engatilhado o trinta
O sangue nem fez pensar
Dei um tiro na coitada
A onça que era pintada
Não conseguiu mais andar

Meu amigo enterrei
Com lágrimas a rolar
A onça que eu matei
Ficou no mesmo lugar
Eu peço que não me julgue
A raiva fez eu matar
Entendo a sua dor
Também sou um predador
Só Deus pode me julgar

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

MINHA RAINHA – GERSON AMARO



Claro que tem poema pra mãe ...

MINHA RAINHA – GERSON AMARO

AOS OITO ANOS ELA ME LEVOU NA ESCOLA
MINHA SACOLA ERA UM SAQUINHO DE ARROZ
E DE MÃOS DADAS ME LEVOU COM SEU CARINHO
NOSSO CAMINHO ERA O MESMO QUE OS BOIS
ATRAVESSANDO AS PORTEIRAS E PINGUELAS
AO LADO DELA MUITO PASSOS EU CAMINHEI
MINHA MÃEZINHA ME LEVANDO PELA VIDA
LIDA QUERIDA QUE EU JAMAIS ESQUECEREI


AOS DOZE ANOS ME ENSINOU A TRABALHAR
POIS AJUDAR AQUI EM CASA É NATURAL
EU AJUDEI MINHA MÃEZINHA NA FAZENDA
AMIGO ENTENDA ISSO NUNCA ME FEZ MAL
EU TIVE TEMPO PRO ESTUDO E PRO TRABALHO
NÃO TIVE ATALHO MINHA MÃE ME ENSINOU
QUEM TOMA ATALHO , AS VEZES TOPA ESPINHOS
E O CAMINHO NUNCA ENTÃO APROVEITOU

DEZOITO ANOS MINHA MÃE ME ACOMPANHOU
SE EMOCIONOU QUANDO O DIPLOMA EU FUI GANHAR
SAI DA ESCOLA ENTÃO FUI PARA FACULDADE
E A SAUDADE FEZ ENTÃO O MEU LUGAR
MINHA MAMÃE PELA FAZENDA ME ESPERAVA
TAMBÉM REZAVA PELA MINHA PROTEÇÃO
E NAS MINHAS FÉRIAS A SAUDADE ENCURTAVA
POIS EU VOLTAVA PRA MAIS UMA ESTAÇÃO

AOS TRINTAS ANOS JÁ FORMADO E UM DOUTOR
COM MUITO AMOR HOJE UM PAI EU ME TORNEI
MINHA ESPOSA DEU A LUZ A UM MENINO
E O MEU DESTINO É LHE PASSAR O QUE GANHEI
MINHA MÃEZINHA HOJE MORA AQUI COM A GENTE
É MEU PRESENTE QUE O PASSADO PREPAROU
O MEU FUTURO É CUIDAR BEM DA MINHA RAINHA
MINHA MÃEZINHA QUE DEUS DO CÉU ME ENVIOU

VERDADEIRO TESOURO – GERSON AMARO

VERDADEIRO TESOURO – GERSON AMARO

Diz que o dinheiro não trás a felicidade
Um ditado na verdade, que algum rico inventou
Sei que o dinheiro trás muita facilidade
Mas me mostra uma verdade , e também outro valor
Com o dinheiro a amizade aparece
Muito amigo não esquece, até lhe chama de doutor
Sem o dinheiro vem então a solidão
O deserto meu irmão , faz então um sofredor

Sem o dinheiro sei também que é difícil
Sem ele o sacrifício aparece meu irmão
Com o dinheiro não se falta quase nada
Mas a cabeça é pesada de tanta preocupação
Com o dinheiro quase não tem o problema
Mas uma brisa pequena , se torna um furacão
Diz um ditado bem famoso meu amigo
O dinheiro compra o trigo, mas não compra gratidão

Quando o dinheiro vem do suor de seu rosto
Eu te digo até com gosto , o céu festeja também
Quando o dinheiro é roubado e desonesto
Nem que seja só um resto, seu valor de mim não tem
Mas vale o pouco , abençoado de verdade
Pois vem a prosperidade , e nunca falta pra ninguém
De que adianta ter , da terra todo o ouro
Se o verdadeiro tesouro é sua alma , então amem

terça-feira, 8 de outubro de 2019

Poema Tres Letrinhas

Mais um poema dos antigos , que resgatei hoje ...

Três letrinhas Gerson Amaro

Hoje a saudade arrebentou este meu peito
Não teve jeito com a caneta vim chorar
Então peguei este papel vazio e branco
E com meu pranto resolvi então rimar
Fechei os olhos procurando inspiração
O coração não parava de apanhar
Pois hoje lembro da minha maior saudade
Minha verdade, que pra sempre irei lembrar

Essa minha falta é a maior do universo
E este verso, fiz irmão pra te provar
O que me falta é maior que todo ouro
E o tesouro que existe pra brilhar
Até Jesus, o Cristo e meu salvador
Teve este amor e só um colo pra deitar.
E na sua morte, ela estava ao seu lado
Crucificado, ela foi lhe acompanhar

Hoje a saudade vem com três letras somente
Em minha mente foi difícil de ajuntar
Juntei as letras e então foi complicado
Sou estudado, mas nem pude soletrar
E num esforço de um filho que escreve ...
E sim se atreve da saudade cutucar
Aqueles simples três letrinhas ajuntadas
Juntas formadas ...

"Mãe" pra sempre irei te amar !

SAUDADE PRA SEMPRE – Gerson Amaro



SAUDADE PRA SEMPRE – Gerson Amaro

TENHO SAUDADE DO QUE JÁ SE FOI
TENHO SAUDADE ATÉ DO QUE TA VINDO
TENHO SAUDADE DA VIDA NA ROÇA
AQUILO SIM AMIGO ERA LINDO
TENHO SAUDADE DA MINHA CASINHA
O CHÃO BATIDO E COM VERMELHÃO
AMIGO HOJE MORO NA CIDADE
TO TÃO DISTANTE DA FELICIDADE
O MEU ATALHO É O MEU CORAÇÃO


TENHO SAUDADE DA MINHA VIOLA
E DO AMIGO COM SEU VIOLÃO
TENHO SAUDADE DA MINHA VITROLA
ONDE EU OUVIA OS DISCO DO TIÃO
VENDO A PORTEIRA FECHANDO PRA MIM
TRAVANDO FIRME JUNTO AO SEU MOURÃO
ALI TRANQUEI TODA MINHA VERDADE
FOI PRO ENGANO DA MODERNIDADE
ATRAS DE ESTUDO TIVE UMA LIÇÃO

DE QUE ADIANTA INDO INTEIRO
SOU PRISIONEIRO MEU PEITO NÃO MENTE
A MINHA ROÇA , TERRA VERMELHA
VELHA PARCEIRA SAUDADES PRA SEMPRE

domingo, 6 de outubro de 2019

Mais um poema

Seu pesadelo é um sonho
Gerson Amaro

Ocê notou como a vida é esquisita
Quem acredita nesta prosa que eu conto
Tão me dizendo que o contrário é o avesso
Eu não mereço mas na rima eu vivo pronto
Eu conto agora uma prosa de verdade
Felicidade é só uma prova de fé
Tem tanta gente que reclama do sapato
Mas tem o fato que muitos nem tem o pé

Tem tanta gente que reclama do trabalho
Não toma atalho quando diz que tá cansado
Mas seu trabalho com certeza é o sonho
Eu te proponho se pense desempregado
Tem tanta gente que reclama da sua casa
E perde a asa , nem um anjo passa perto
Mas sua casa com certeza é um sonho
Eu te proponho se pense em ser sem teto

Tem muita gente que reclama do dinheiro
O dia inteiro reclama e fica me dizendo
Mas seu dinheiro com certeza é o sonho
Eu te proponho pense em quem tá só devendo
Tem muita gente que reclama de seu filho
Que é o brilho mas é arteiro demais
Mas o seu filho com certeza é o sonho
Eu te proponho ser um filho sem os pais

Esse contrário que eu luto todo dia
Sua tristeza de outro é alegria
Quem agradece tudo aquilo que se tem
Tem o amém e outra vida contagia
A oração pelo irmão não é contrário
Ser solidário e não reclamar de sua lida
Seu pesadelo com certeza é um sonho
Eu te proponho de valor a sua vida

Mais de 1 MILHÃO de visualizações no Facebook

Poema Velho Querido
Autor Gerson Amaro
Declamando Marco Brasil

sábado, 28 de setembro de 2019

Tesouro sem fim GERSON AMARO

Tesouro sem fim GERSON AMARO

Na minha vida eu segui o meu destino
Um dia já fui menino e me achei até de mais
Mas todo mundo que se acha não se encontra
Deus sempre que faz a conta , e ajeita os demais
Um belo dia no auge da prepotência
Deus me deu uma ciência que não esqueci jamais
Eu tive um sonho diferente meu irmão
Foi bem mais que uma lição , e hoje tenho minha paz

Eu era rico tinha até casa de ouro
Dinheiro era o tesouro neste sonho, minha lição
Eu esnobava todo mundo a minha volta
Até tinha na minha escolta segurança e proteção
No mesmo sonho então amigo eu perdi tudo
Fiquem sem o meu escudo só sobrou decepção
Então me veio de exemplo uma imagem
Deus mostrou numa pastagem, uma vaca neste chão

Aquela vaca produzia seu estrume
Eu que era só perfume tive nojo de olhar
Na mesma hora apareceu um bom velhinho
Era o meu papaizinho, que o estrume foi juntar
Vendo a saudade aparecendo em meu sonho
Amigo eu te proponho comigo se emocionar
O meu finado pai mexia no estrume
Mostrando o seu costume, na terra pra misturar

Aquele sonho então seguia sua lição
Meu papai sujava a mão, ele estava a trabalhar
E uma voz então apareceu pra mim
“Meu amigo Joaquim , hoje vim lhe ensinar
Não é de ouro que eu te quero neste mundo
Pois ouro não é fecundo e não pode adubar
Quero que seja mais humilde nesta terra
Pois o ouro não impera , onde Deus vai lhe enviar “

Hoje sou padre , fiz um voto de pobreza
Mas lhe digo com certeza , que eu sou feliz assim
Sou misturado nesta terra abandonada
Mas deixo ela adubada , e a transformo num jardim
Colho as flores que são almas pra meu Deus
Que ensinou nos sonhos meus, e me esqueci de mim
Estou nas mãos do jardineiro lá do céu
Hoje eu sim sou mais fiel , e meu tesouro não tem fim

terça-feira, 24 de setembro de 2019

PELO EM OVO - GERSON AMARO

PELO EM OVO - GERSON AMARO

Numa escola um professor bem diferente
Não era crente e se dizia um ateu
Aos alunos preparou uma conversa
Prosa inversa de quem acredita em Deus
“Meus estudantes deste liceu tão querido
Trouxe comigo e bem aqui em minha mão
Algo tão frágil , um simples ovo de galinha
A prosa minha é contra vossa oração “

Vou atirar esse ovo aqui na minha mesa
e com certeza ele vai se espatifar
Mas se alguém aqui na sala for fiel
Seu Deus do céu vai então me evitar
Mas se acaso esse ovo então quebrar
Vou lhe provar que o se Deus nunca existiu
Se tem alguém que é crente nesta escola
Aceite agora esse meu simples desafio

Um jovenzinho que sentava ali no fundo
Em um segundo levantou e foi falar
Meu professor eu aceitei sua afronta
Meus Deus aponta que devo me ajoelhar
Peço licença pra dobrar os meus joelho
Que estão vermelhos de tanto Deus adorar
“Fique a vontade” disse assim o professor
Ajoelhou e começou assim orar

Misericórdia meu Senhor e Deus Bendito
Eu acredito nas palavras do Senhor
Sei que este homem desafia hoje o céu
Nem tira o véu que não lhe deixa enxergar
Sei que o ovo vai quebrar pois ele é fraco
Isso é um fato então eu nunca vou mudar
Mas quando a casca deste ovo for quebrada
Seja tirada a vida de quem o jogar

O professor na mesma hora silenciou
Então guardou aquele ovo da verdade
E com cuidado guardou ele enrolado
Almofadado em cofre na cidade
Aquele ovo até hoje é bem cuidado
Refrigerado , para nunca então trincar
Aquele aluno ensinou pra aquele povo
Que pelo em ovo , só acha quem procurar

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Velho Querido – GERSON AMARO

Velho Querido – GERSON AMARO

Aos sete anos meu papai era o herói
Imagine como dói não dito pra ninguém
Velho querido, nesta idade me ensinava
Tudo que eu perguntava, ele me dizia amem
Aos meus dez anos meu papai era o amigo
Caminha ali comigo companheiro sem igual
Saiba que a idade vai aos poucos vai nos chegando
Nossa vida vai mudando , isso é muito natural


Quatorze anos, do papai já duvidava
Eu achava que ele errava , quando vinha me ensinar
“Eu já sou grande”, bem assim que eu pensava
Acho até que me zangava, só queria rebelar
Aos vinte anos, eu o achava atrasado
Meu velho pai adorado, por mim nunca se atrasou
Saiba que a idade vai aos poucos nos chegando
Nossa vida vai mudando , hoje tempo me ensinou

Aos vinte e oito , “O velho não sabe nada”
A cabeça empinada, eu teimava em relutar
“Sou estudado nem preciso de ajuda”
Mas nem todos que estuda, sabe a vida respeitar
Aos trinta e cinco, era o dono do nariz
Conquistei tudo que quis, nem do velho lembro mais
Saiba que a idade vai aos poucos nos chegando
Nossa vida vai mudando , não plantamos nossa paz

Quarenta anos , veio então dificuldade
O meu pai com sua idade, me esperava pra ajudar
Cabeça dura, eu ainda relutando
Minha vida fui tenteando, eu não quis ir lá buscar
Cinquenta anos calejado pela vida
A idade já cumprida, meu papai adoeceu
Saiba que a idade vai aos poucos nos chegando
Nossa vida vai mudando , tudo aquilo que sou eu

Sessenta anos meu papai já esta no céu
A saudade num chapéu, hoje no quarto achei
Me arrependo, de não ficar ao seu lado
Vendo hoje meu passado, sei que muito eu errei
Tenho um filho que me trata o mesmo jeito
Até bate em seu peito, que é dono da verdade
Saiba que a idade vai aos poucos nos chegando
Nossa vida vai mudando , nos deixando só saudade

sábado, 14 de setembro de 2019

A VINGANÇA DE PARDINHO – GERSON AMARO

A VINGANÇA DE PARDINHO – GERSON AMARO


Parto hoje pra São Paulo
Vou rumo ao interior
Vou em busca de vingança
Por causa de um amor
Peço perdão só pra Deus
e Cristo Nosso Senhor
Por causa de um abraço
Me tornarei pecador
Que me julga no final
Sabe que eu sou sofredor


Não quero misericórdia
Nem quero causar discórdia
Na frente do criador


Na mala levo um quarenta
No pente eu levo coragem
Não levo arrependimento
Não cabe em minha bagagem
Quem sabe o que sofri
Ajuda em minha viagem
Dou carona para morte
Eu pago sua passagem
As seis horas da manha
Eu chego na hospedagem


Na casa de um conhecido
Que acha que é meu amigo
Começa o fim da bobagem


Um abraço da serpente
Aperta o ossos da gente
Um abraço do inimigo
No coração nois já sente
Aquele que diz fiel
Na vida nunca foi crente
Hoje eu coloco prumo
Na culpa do inocente
Não deixo uma raiz
A aquele foi semente


A vingança nunca é plena
Ela morde e envenena
Seu veneno é no dente

O encontro derradeiro
No campo espraiadinho
Sete bala eu guardei
O pente fiz de cofrinho
Eu marco então essa moda
Feito um rodamoinho
A bala que já saiu
Já encontrou seu caminho
Me entrego na captura
E não me entrego sozinho


A culpada na mordaça
Ela também foi comparsa
Na vingança de Pardinho

Patrão Bondoso – Gerson Amaro

Patrão Bondoso – Gerson Amaro

Um inocente com seis anos de idade
Passeava na cidade meio perto do natal
Em uma loja com sua roupa vermelha
Um velhinho na cadeira fazia um comercial
Aquela barba bem comprida meu irmão
Parecia algodão daqueles que tem no céu
O inocente logo foi se aproximando
Ao velhinho foi falando “Bom dia Papai Noel”

“Lá na escola eu pintei um retratinho
Tinha até uns carneirinho que puxava seu trenó
A professora disse que tu da presente”
Assim disse o inocente , te juro fiquei com dó
O Bom velhinho mesmo não sendo real
Um artista de Natal deu então sua atenção
“Me diga amigo o presente que deseja
Me diga o que almeja de todo seu coração “

“O meu presente sei que é meio difícil
Talvez seja sacrifício até para o senhor
Meu papaizinho não trabalha faz um ano
Fome não tamo passando, pois a igreja ajudou
Só ando vendo meu papai fazendo bico
Mas hoje eu acredito que esta sorte vai mudar
Quero um emprego pro papai ficar contente
Esse é o meu presente, o que eu quero ganhar

Aquela loja tinha um dono muito rico
De coração tão bendito e sua conversa escutou
No vinte e cinco de dezembro meu amigo
Atendeu o seu pedido e seu presente lhe entregou
Alem do emprego um ano de supermercado
Brinquedo também foi dado ao inocente Manoel
Patrão bondoso , com céu se assemelha
Naquela roupa vermelha, era o Papai Noel

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

No dia que ele cai Gerson Amaro

No dia que ele cai
Gerson Amaro

Tem gente que nunca foi
Mas diz por ai que vai
Tem gente que não assume
Mas garante que é o pai
Tem gente que sai em cima
Mas tem gente que nem sai
Em um mundo de malicia
Avião só é noticia no dia que ele cai

Tem gente que torce contra
E sua sorte não atrai
Usa só marca famosa
Tudo vem do Paraguai
Vive só de pular acerca
Mas a esposa ainda trai
Em um mundo de malicia
Avião só é noticia no dia que ele cai

Tem gente que causa dor
Tem quem vive só de ai
Tem quem vive de pecado
Digo “Meu Pai perdoai “
Deus fez o dez mandamentos
E foi no monte Sinai
Em um mundo de malicia
Avião só é noticia no dia que ele cai

Nossa Sina ( Gerson Amaro )

Nossa Sina ( Gerson Amaro )

No mundo estamos em uma corrida
Onde a partida, começa na luz
Nascemos no mundo com uma verdade
Seremos saudades junto com Jesus
Um dia a o céu também partirei
Amigos terei cumprido a missão
A vida na terra, fui só passageiro
E o tempo inteiro Deus na Direção

Sei que não fui anjo, nem santo também
Mas disse Amem , pra tudo de Deus
Sei que fui pequeno com os meus pecados
Os grandes errados, foram todos meus
Todo meu pecado é um grão de areia
A terra esta cheia e nem aparece
No barco da vida , sou uma discórdia
Na misericórdia , Deus nunca me esquece

Eu sigo rimando essa nossa sina
Minha mão assina tudo que eu faço
Apenas eu digo aquilo que sinto
Te juro não minto , nas cordas de aço
Levo minha coroa, um chapéu de palha
Que em minha batalha nunca foi ausente
Carrego o passado amigo eu te juro
Mas o meu futuro, é lembrar meu presente

Termino essa moda com mais dois quartetos
São oito duetos que aqui eu rimei
Mas foram dez cordas que aqui pontearam
Meus versos tocaram e assim eu cantei
São dez mandamentos , juntados em dois
Pois Cristo depois , assim ajuntou
Quem ama a Deus , e respeita seu irmão
Tem sua porção e a moda acabou

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Recado Vermelho - Gerson Amaro

Recado Vermelho - Gerson Amaro

Me peguei hoje, olhando para espelho
E de vermelho um recado lá ficou
Em uma frase com batom com sua escrita
A despedida que você por lá deixou
São só vogais e consoantes ajuntadas
Escrevinhadas mas me fez um sofredor
Nesta escrita , me dizia a minha amada
“Muito obrigada pela noite de amor “

Frase escrita , batom vermelho
Em meu espelho , por lá ficou
Ela foi embora , e eu lhe espero
Mas desespéro, ela ainda não voltou

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

A enxada ninguém qué Gerson Amaro

A enxada ninguém qué
Gerson Amaro

Eu sou de um tempo antigo
Acredite quem quizé
Acordava muito cedo
Tinha galo garnisé
Era o meu costumeiro
Bem cedinho tá de pé
Zé Betio hoje é saudade
Mas dizia sua verdade
A enxada ninguém qué

Os meninos de hoje em dia
Na cabeça é só o boné
Levantam ao meio dia
Nem dão conta do café
O estudo é importante
Mas trabalho também é
Vivem de encher lingüiça
Sua verdade é a preguiça
A enxada ninguém qué

Dou risada até hoje
Com o caipira barnabé
Mazzarapi engraçado
Fez famoso Taubaté
A piada hoje em dia
Cala até o chimpanzé
Politicamente errado
Ninguém é mais engraçado
A enxada ninguém qué

Domingo eu vou na igreja
Pois eu tenho a minha fé
Salve sempre o Divino
E Jesus de Nazaré
O povo que ir pro céu
Mas morrer ninguém mais qué
Ir pro céu é importante
Mas não tem escada rolante
A enxada ninguém qué

Eu sou de um tempo antigo
Acredite quem quizé
Acordava muito cedo
Tinha galo garnisé
Era o meu costumeiro
Bem cedinho tá de pé
Zé Betio hoje é saudade
Mas dizia sua verdade
A enxada ninguém qué

sábado, 31 de agosto de 2019

O MENINO E A VIOLA – Gerson Amaro

O MENINO E A VIOLA – Gerson Amaro

Nas andanças desta vida
Eu sempre me encontrei
Num amigo pela rua
Eu mesmo me ensinei
Mas um dia nesta andança
Eu muito me emocionei
Na porta de uma igreja
Numa moda sertaneja
Um menino avistei

A viola de acompanho
O menino tão sozinho
Tocava uma moda boa
Tião carreiro e Pardinho
Do grande compositor
O saudoso Carreirinho
Como é que pode um menino
Tão novo com seu destino
De um ser um violeirinho

Um chapéu pedindo esmola
Uma moeda somente
O menino e a viola
Tocava muito contente
Mas então um segurança
Sujeito inconveniente
Pediu pra ele ir embora
Não pode tocar viola
Num lugar de povo crente

Menino saiu chorando
Pela ruas foi seguindo
Fui de perto de acompanho
Zelando pelo menino
Numa praça ele chegou
Uma imagem foi surgindo
Na porta de outra igreja
Uma imagem sertaneja
De encontro ele foi sorrindo

Entrando nesta igreja
A viola foi tocando
O menino muito alegre
Um santo já foi louvando
Salve sempre o Pai eterno
Aqui eu vou respeitando
Nesta moda então te falo
Ele viu foi São Gonçalo
Com a viola tocando

O menino hoje toca
Na missa todo domingo
No grupo de oração
A viola ta tinindo
O menino e a viola
Me Deus que milagre lindo
A viola ninguém poda
São Gonçalo diz na moda
Amigo seja bem vindo

sexta-feira, 30 de agosto de 2019

só pra descontrair hahaha

Quebra Gaio – Gerson Amaro

Quando o caboclo é feio
Nem precisa de espataio
O passarinho nem beira
Contorna e não pega ataio
Eu rima com a caneta
Minha moda eu não faio
Piracema de feiura
Violeiro na agricultura
Só pega us quebra gaio

Tem violeiro bem novo
Tem violeiro grisaio
Tem velho e tem veiaco
Tem esperto e paspaio
Violeiro que joga truco
Se acha o rei do baraio
Piracema de feiura 
Violeiro na agricultura
Só pega us quebra gaio 

Eu saio deste pagode
Dou fim no meu cabecaio
Eu rimei mais um moda
Nem tive tanto trabaio
Quem espera sempre o mar
Se afoga no orvaio
Piracema de feiura 
Violeiro na agricultura
Só pega us quebra gaio 

FILTRO DE BARRO – GERSON AMARO

FILTRO DE BARRO – GERSON AMARO


Novamente eu falo da simplicidade
Pois essa verdade, não pode faltar
De novo lembro de outra saudade
Mais um humildade eu venho cantar
Minha alma tem sede, junto ao coração
Na moda então hoje eu reparo
Matei minha sede, voltando ao passado
Hoje meu rimado é um filtro de barro


A água da mina foi sempre fresquinha
A gente até tinha ela encanada
Mas um belo dia chegou para gente
Algo diferente, de pele rosada
Um filtro de barro , era o moderno
Moldado e eterno e feito na mão
Suas velas filtravam , com tanto carinho
De barro o gostinho , hoje na canção


A mãe com carinho fez até enfeite
Bordava contente , pro filtro enfeitar
Ao lado do filtro ficava a pia
A simples bacia com trem pra lavar
Uma canequinha feita de alumínio
Da venda do Plínio , o papai comprou
Hoje a lembrança deste objeto
Um sonho completo, minha sede matou

No passado e no presente Gerson Amaro

No passado e no presente
Gerson Amaro

Moda antiga é muito boa
Não esqueço esse legado
Não existe um futuro
Se não tiver o passado
Mas eu vivo no presente
Mas nenhum presente é dado
Moda antiga contagia
Mas foram também um dia
Moda nova no mercado

Quem planta sua semente
Um dia será lembrado
A colheita é certeira
Seu nome fica guardado
Na tulha do sertanejo
O estoque ta lotado
Quem canta moda antiga
O seu nome não dá liga
Mesmo assim muito obrigado

Relembrar é muito bom
No palco faz o agrado
Mas o novo é importante
Pra seguir o cadeado
Eu fecho com moda boa
Minha chave é o ponteado
A viola segue em frente
No passado e no presente
Só defendo um mesclado

Poetas de antigamente
Tem guardado seu reinado
Violeiros do começo
Pra sempre eternizado
Não prego esquecimento
Só vim dar o meu recado
Sou aluno nesta terra
Quem estuda sempre espera
Um dia ter seu mestrado

Caipira é o meu coração/ GERSON AMARO

Caipira é o meu coração/ GERSON AMARO

Eu sou um doutor formado
Minha nova profissão
Mas eu já fui lá da roça
Doutor com calo na mão
Por dentro eu sou matuto
Por fora um cirurgião
Estudo é minha conquista
Sou só um cardiologista
Caipira é o meu coração

A enxada foi meu sustento
Diploma minha missão
Os calos que eu ganhei
Suor que deixei no chão
Vivo a vida de um doutor
Mas não morri no sertão
A viola me fez artista
Sou só um cardiologista
Caipira é o meu coração

Quem me vê todo de branco
Nem tem na imaginação
Eu todo sujo de terra
Cuidando da plantação
A chuva faz o molhar
As veias irrigação
Molhada é minha vista
Sou só um cardiologista
Caipira é o meu coração

Um dia quero curar
As dores do meu irmão
A doença da saudade
Mais parece um grotão
Um vazio aqui no meu peito
Da espaço a esta canção
Na cidade sou turista
Sou só um cardiologista
Caipira é o meu coração

Milagre do Sertão Gerson Amaro

Milagre do Sertão Gerson Amaro

Eu acredito num milagre enviado
Que tem mostrado , Deus com todo seu perdão
Eu acredito que tem anjos espalhados
Que tem cuidados , nos trazendo a emoção
Eu conta a historia , de um fato interessante
Se quer que eu cante , preste muita atenção
Sou nesta terra filho de de Jesus querido
Por merecido sou um milagre do sertão

Um cemitério onde a morte vence a vida
Seca sofrida lá pros lados do Grotão
Nenhuma gota de chuva vinha caindo
E destruindo toda nossa plantação
Falta de fé , é um cuidado meu amigo
Se tens sofrido e tem feito indagação
Este milagre que eu conto nesta moda
Ninguém me poda de eu cantar esta canção

Em um canteiro sem uma gota de chuva
Onde a viúva é quem faz sua irrigação
Nasceu um pé de uma planta com sua alegria
De melancia , brotou frutos lá então
Deus doze frutos um pra cada mês do ano
Assim provando , que Deus manda no sertão
Pois sem a água , melancia então não nasce
Assim renasce um milagre meu irmão

Então a vida é que vence sempre a morte
A nossa sorte é ter nossa oração
Se um milagre o irmão ta precisando
Fique orando aguardando a provação
Feito a terra seca de um cemitério
Onde o mistério tem seu fim neste mundão
Fique atento pois o milagre sempre cerca
Mesmo na terra seca de um coração

Irmão de Rua Gerson Amaro

Irmão de Rua
Gerson Amaro

Em um mercado da cidade
Eu estava a caminhar
De repente me parou um moço
Deu bom dia para me saudar
Tatuagens pelo corpo
Roupas sujas e rasgadas
Muito magro e meio sem vida
No inteiro de sua jornada

Me pediu sua atenção
E pediu para comprar
Um pacote de balas de goma
Pois queria apenas trabalhar
Fui covarde nesta hora
E neguei então auxilio
E me disse “Deus que te abençoe”
Foi ai que eu perdi meu brilho

Tive medo do amigo
Eu confesso minha fraqueza
Não ajudei este pobre irmão
Fui bem rico em minha pobreza
Eu bem pobre de espírito
Fui mentira de maldade
Eu podia sim lhe ajudar
Esta sim era minha verdade

Resolvi, voltei atrás
Então fui o procurar
Encontrei ele no caixa sete
Parecia até me esperar
Perguntei então a ele
Já conseguiu seu dinheiro ?
Ele disse então com um sorriso
“Minha fé mandou eu vir primeiro”

Dei então a minha ajuda
Mas na verdade não dei nada
Mas amigo então recebi tudo
Num abraço, de alma apertada
Meu amigo então se foi
E então eu percebi
Que Jesus também estava lá
Só eu mesmo não reconheci

Suas vestes bem rasgadas
E seu corpo bem marcado
Estava magro em seu sofrimento
Feito Cristo então crucificado
Sim amigo vi um anjo
Que tem seu teto a lua
Toda vês que quiser ver Jesus
Ajude então um irmão de rua

O tijolo e o menino Gerson Amaro

O tijolo e o menino
Gerson Amaro

Um fazendeiro passeava pela estrada
Com o seu carro importado do Japão
O fazendeiro tinha pago neste carro
Algo em torno de bem mais que um milhão
Aquele carro era então o seu orgulho
Mas na estrada algo chamou sua atenção
Pois um tijolo quebrou o seu para brisa
Ele parou o carro até na contramão

Ao avistar só um menino pela pista
Muito nervoso foi em sua direção
Com o nervoso em seus lábios foi xingando
Para o menino disse muito palavrão
Mas ao menino só chorava e pedia
“Não foi por mal, escute minha explicação”
O meu irmão é cadeirante e caiu
Em um barranco olhe minha situação”

Ao avistar o menininho lá caído
Saiu correndo junto de seu coração
Desceu o morro sujando as suas vestes
Não importando com valor de seu cifrão
O fazendeiro socorreu o menininho
Pro hospital levou também o seu irmão
O tijolinho que o menino atirou
Então salvou a sua vida e do irmão

O fazendeiro então pensou no prejuízo
Mas fez o certo e consertou foi a questão
Vendeu o carro importado tão bonito
E o dinheiro ele comprou um lote bão
Foi transformado numa casa tão querida
Um hospital pra atender a região
E o tijolinho que quebrou seu para brisa
Foi o primeiro assentado pelo chão

O contrário do avesso Gerson Amaro

O contrário do avesso
Gerson Amaro

O perto já ficou longe
O longe já ficou perto
O aberto já fechou
Quem fechou ficou aberto
O deserto não é sertão
O sertão é um deserto
Não dou conta do recado
O certo hoje é errado
O errado hoje é o certo

A mãe mora bem pertinho
Mas o filho não visita
Viaja pro estrangeiro
Pra ver as coisas bonita
Mais bonito é a mãe
Jesus teve uma Bendita
No contrário do avesso
Eu não erro o endereço
Nem a rima da minha escrita

O perto já ficou longe
O longe já ficou perto
O aberto já fechou
Quem fechou ficou aberto
O deserto não é sertão
O sertão tá um deserto
Não dou conta do recado
O certo hoje é errado
O errado hoje é o certo

O comércio já fechou
O dono tá bem quebrado
Mas a conta tá aberta
No banco endividado
O governo não tem dó
E ainda cobra o coitado
No contrário do avesso
Eu não sei se eu mereço
Meu trabalho penhorado

O perto já ficou longe
O longe já ficou perto
O aberto já fechou
Quem fechou ficou aberto
O deserto não é sertão
O sertão tá um deserto
Não do conta do recado
O certo hoje é errado
O errado hoje é o certo

O deserto tá plantando
A água foi encanada
O sertão já tá secando
O governo não faz nada
A promessa do eleito
Nunca que é aprovada
No contrário do avesso
Deputado tem seu preço
E seu povo não agrada

O perto já ficou longe
O longe já ficou perto
O aberto já fechou
Quem fechou ficou aberto
O deserto não é sertão
O sertão tá um deserto
Não dou conta do recado
O certo hoje é errado
O errado hoje é o certo

Quando Deus Manda GERSON AMARO

Quando Deus Manda GERSON AMARO

Aqui na roça certo dia aconteceu
Algo ocorreu aqui na vila onde nóis mora
Lá na igreja no falante anunciava
Padre falava de uma ajuda a uma senhora
Recém-chegada na fazenda aqui vizinha
A vovozinha passava pela piora
Então o padre pediu por mais esta ajuda
“Alguém acuda essa irmã sem a demora”

Mas na colônia tinha fazendeiro ateu
Velho Aristeu já resolveu , ia ajudar
Chamou então o capataz desta fazenda
“Amigo entenda o que vou lhe contar
Essa ajuda vais ser mais uma lição”
O sabichão queria Deus já confrontar
“Entregue a compra , pra senhora, estou mandando
Mas vá falando que o diabo que foi dar”

O capataz sem entender obedeceu
Não entendeu mas um patrão não escarnece
Levou a compra pra senhora e foi falando
“ Estou lhe dando mas sabe quem oferece?
A senhorinha agradeceu e já lhe disse
“Mas que tolice ,eu não ligo, isso esquece
A minha fé , e o meu mundo o céu comanda
Quando Deus manda até o diabo obedece”

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

A morte e o ipê - GERSON AMARO

A morte e o ipê - GERSON AMARO

A morte liquida a conta
O fiado é fechado
Mas quem deve uma morte
Não recebe o perdoado
O perdão pertence a Deus
No fim do seu combinado
A historia que eu conto
A morte esconde o ponto
O final mais aguardado

Chico preto um inocente
Casado com Dona Fia
Um casal bem diferente
A pobreza de agonia
Chico Preto lá na roça
Algo então ele escondia
No passado assassino
Mas a morte e seu destino
Sua conta então pedia

No presente Chico preto
Fazia sua morada
Na água da Seriema
Na tapera encostada
No fundo em seu quintal
Uma arvore plantada
Um ipê de vinte anos
Tinha parte nos seus planos
E uma morte ele ocultava

O Ipê não dava flores
Um caso interessante
Os pé de ipê em volta
Tinha flor a todo instante
A vida sempre floresce
Do pequeno ao gigante
Mas com algo escondido
Nada tem o seu florido
nada é tão importante

Chico preto certa noite
Em um sonho acordou
Veio um ressentimento
A morte o visitou
"Vim pegar meu pagamento
Do irmão que tu matou "
Chico então arrependido
Assumiu o ocorrido
E seu crime confessou

Captura foi chamada
Pra resolveu este caso
No eito do pé de ipê
Um buraco nem tão raso
Um corpo foi colocado
Mas não foi por um acaso
Numa disputa de terra
Dois irmão fizeram a guerra
A morte teve seu vazo

No futuro Chico Preto
Trinta ano de cadeia
A morte cobrou a conta
So colhe de quem semeia
O ipê depois do fato
Todo ano ele floreia
O ipê seguiu em frente
Feito o sangue do inocente
Suas flor são bem vermeia

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Rastro de Mentira - Gerson Amaro

Rastro de Mentira - Gerson Amaro

A muito tempo eu troquei minha verdade
Num balaio de saudade que hoje quero aqui contar
Eu fui em busca de tentar uma melhora
Encontrei foi a piora que teimo em carregar
Em uma volta aqui na grande cidade
Avistei simplicidade e comecei a pensar
Em um canteiro numa casa bem bonita
Tive que por na escrita o que eu fui avistar

Em uma rua só de casas de mansão
Todas de alto padrão , onde rico vai morar
Entre coqueiros e flores bem coloridas
Todas casa bem floridas , flores são pra enfeitar
Mas o destaque que ordenha minha vista
Até te dou uma pista , meu passado foi buscar
Bem imponente num lugar bem destacado
Pé de café carregado , fez o caipira chorar

Não me contive e fui logo na guarita
cheguei feito uma visita , para mode perguntar
Então um moço até muito educado
Parecendo um soldado veio logo me explicar
Pois esta casa meu amigo me entenda
É de um dono de Fazenda , mas ele não vai morar
Fez esta casa pra seu filho que estuda
Mesmo assim ele educa que o café é quem vai pagar

Pé de Café , eu fiquei emocionado
Levo este aprendizado por onde eu for andar
Na minha infância quanto café abanei
Mas eu não acreditei que o dinheiro ia entrar
Cidade grande até tem modernidade
Mas caipira de verdade não foge de seu lugar
Eu fui covarde e fui um rastro de mentira
Eu deixei de ser caipira, sem coragem pra voltar

Uma cruz em minha viola Gerson Amaro

Uma cruz em minha viola
Gerson Amaro

Pelo corpo ferradura
A peçonha inocente
Natureza e criatura
Veneno muito valente
A doçura da amargura
Carrega pelos seus dentes
O bote é sua armadura
Astuta e inteligente
No verso do violeiro
Trago urutu cruzeiro
Uma cruz pra muita gente

Uma cruz em sua testa
No avesso de um malfeito
Urutu ninguém contesta
Tem o medo mais perfeito
A vida não é só festa
Quando sonho é desfeito
A coroa lhe atesta
O reinado por direito
No verso do violeiro
Trago urutu cruzeiro
Uma cruz com seu respeito

Tem por fé sua esperteza
Seu veneno não consola
A noite sua natureza
Suas presas não amola
O feio de uma beleza
É oferta sem esmola
Serpente e sua nobreza
Meus versos ela controla
No verso do violeiro
Trago urutu cruzeiro
Uma cruz em minha viol

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

PANCETA ENROLADA - Gerson Amaro



PANCETA ENROLADA - Gerson Amaro

Eu canto moda caipira
Faço moda bem rimada
Eu escrevo moda simples
Do jeito que são cantada
Mas hoje peço licença
Pra mostrar outra jornada
Apresento uma receita
Que deixa boca molhada
Anote os ingrediente
E depois convide a gente
Pra Panceta Enrolada


Uma panceta de porco
Meio gorda já comprada
A carne é para cima
Para ser bem temperada
Eu tempero com sal fino
E pimenta esmigaiada
Coloco um pouco de louro
Pra ficar bem perfumada
Tudo a gosto do cliente
E depois convide a gente
Pra Panceta Enrolada

Enrolemo a panceta
Com barbante amarrada
Coloquemo numa forma
No forno já foi deixada
Aguardemo o momento
Dela ficar bem dourada
Então nois tiremo ela
E demo uma fatiada
Daixa o óleo muito quente
E depois convide a gente
Pra Panceta Enrolada

Mergulhemo a panceta
E deixemos ela afundada
Ela vai pururucando
Rapidinho preparada
Escorremo na peneira
A gordura ajuntada
Coloquemo numa tabua
E depois é bem picaca
Amigos experimente
E depois convide a gente
Pra Panceta Enrolada

Eu reforço o pedido
Não esqueçam caipirada
Eu dei a receita boa
Mas também dei a lembrada
Quando fazer sua receita
Por favor não de mancada
Eu levo a minha viola
Participo da violada
O melhor ingrediente
E nunca esquecer da gente
Pra panceta enrolada

A Rosa da Noite ( Gerson Amaro )



Conto historias minhas e de outros , hoje conto a historia de vários ...

A Rosa da Noite ( Gerson Amaro )

Eu tenho saudade da casa rosada lá de ribeirão
Uma luz vermelha em sua varanda tinha minha atenção
Lá eu conheci, então a morena, no jardim da vida
A rosa da noite, de alma tão sofrida
A flor do poeta, e do seu refrão


A Rosa da noite
A Rosa e o perfume
A Rosa da vida
A Rosa e o costume
Rosa de carinho
Rosa com espinho
Rosa com seu vinho
Rosa sem ciúme

Na noite estrelada brilhava a estrela no céu de ilusão
No açoite da vida ela era o rumo de um coração
Um vinho barato era um convite , cigarro apagado
A Rosa da Noite , sorriso fechado
É a companhia de mais um refrão

A Rosa da noite
A Rosa e o perfume
A Rosa da vida
A Rosa e meu costume
Rosa de carinho
Rosa com espinho
Rosa com seu vinho
Rosa sem ciúme

A casa rosada já não mais existe, só nesta canção
Eu faço meus versos , lembrando da rosa em meu coração
Eu sou jardineiro, da noite e da lua
A Rosa da noite, pra mim continua
Será sempre a rima , mesmo que oprima, um outro refrão

A Rosa da noite
A Rosa e o perfume
A Rosa da vida
A Rosa e meu costume
Rosa de carinho
Rosa com espinho
Rosa com seu vinho
Rosa sem ciúme

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

MENTIRÃO – Alexandre Sabater/ Gerson Amaro

MENTIRÃO – Alexandre Sabater/ Gerson Amaro

Um sujeito mentiroso
Mas querido do povão
Pra ele contar mentira
Era quase profissão
No lugar que ele chegava
Já causava confusão
Todo mundo conhecia
Famoso na região
A coroa ninguém tira
Ele era o rei da mentira
Conhecido mentirão

A fama de mentiroso
Pra todo lado espalhou
Numa cidade distante
Notícia também chegou
Que para contar a mentira
Ninguém com ele igualou
Apareceu um sujeito
Que logo não concordou
Eu vou atrás do peão
E mostrar pro mentirão
Que o campeão eu que sou...

Como a distância era longe
Viajou por muitos dias
Só para bater de frente
E saber quem mais mentia
Um combate de engano
Esse encontro seria
Desafiante chegou
Na hora que escurecia
Querendo mostrar o valor
Na porta ele chamou
E um menino que atendia

“Eu busco um mentiroso
Que se diz ser majestade
Sou contador de mentiras
Deixo ele na saudade
Sou inteiro mentiroso
Ele não é nem metade
Ninguém nunca me enganou
Não caio nesta maldade
Quero então já conhecer
O cabra que vai perde
Quando eu disser a verdade

O menino que atendia
Logo então foi falando
“Ele saiu bem cedinho
Pois hoje esta trabalhando
Ele é cientista famoso
Sentado pode ir esperando
Fazendo experiência
Duas espécie ta cruzando
Vaga-lume e abelha
Criou a raça “vaguelha”
Que trabalha iluminando

O rumo desta conversa
Foi a prosa derradeira
O menino era o rei
De toda essa brincadeira
Mentira tem perna curta
Uma prosa verdadeira
O sujeito foi embora
Levando sua poeira
Dizia ser majestade
Mas metade da verdade
É sempre mentira inteira

sábado, 3 de agosto de 2019


Mais que um Doutor Gerson Amaro

Mais que um Doutor
Gerson Amaro

Hoje eu falo de um hospital bem famoso
Bem orgulhoso resolvi aqui cantar
Um hospital onde o caipira é lembrado
Abençoado, o sertanejo esta por lá
No interior do meu estado tão querido
Um grande amigo eu vim homenagear
Um fazendeiro muito mais que um Doutor
Peço o favor desta minha moda assuntar

Lá em São Paulo na cidade de Barretos
Este dueto veio então se inspirar
Eu falo claro do Hospital do Amor
Onde a dor a gente pode amenizar
Um jovem de uma família importante
Sonhou bem grande, e quis então realizar
“Vou construir um hospital nesta fazenda
Que sempre atenda quem vier lhe procurar”

Oitenta e nove foi o ano deste sonho
Eu te proponho um dia ir lá visitar
Inaugurado e aos poucos foi crescendo
Hoje estou vendo um milagre agigantar
Deus abençoe este sonho deste irmão
Que abriu mão de ser Doutor e se formar
Henrique Prata , caipira,muito obrigado
Estou curado , só Deus para lhe pagar

TEMPO DE ANTIGAMENTE Gerson Amaro

TEMPO DE ANTIGAMENTE
Gerson Amaro

TENHO SAUDADES DO TEMPO DE ANTIGAMENTE
ONDE A GENTE APROVEITAVA ATÉ DEMAIS
LEMBRO EU CRIANÇA BRINCANDO COM OS AMIGOS
SEM O PERIGO QUE A CIDADE HOJE TRAZ
AS BRINCADEIRAS INOCENTES PELAS RUAS
A LUZ DA LUA OU DO SOL EM SEUS IGUAIS
NÃO TINHA GUERRA COMO SE VÊ NA CIDADE
MAS SAUDADE DA LEMBRANÇA TRAZ A PAZ

BOLA DE MEIA NO TERREIRO EU BRINQUEI
IMAGINEI UM BELO ESTADIO PARA MIM
EU ERA O ZICO COM A BOLA ALI JOGANDO
IMAGINANDO QUE EU ERA BEM ASSIM
UM PEDACINHO DE JORNAL ERA UM CHAPÉU
UM CORONEL UM SOLDADINHO ENTÃO ENFIM
MARCHA SOLDADO , UM CAVALINHO DE MADEIRA
FAZIA POEIRA NUM GALOPE NO JARDIM

A BRINCADEIRA PEGA PEGA ESCONDE ESCONDE
BRINCAR DE BONDE COM UMA TAMPA DE PANELA
VER AS MENINAS BRINCANDO LÁ DE CASINHA
A BONEQUINHA DE MILHO BEM AMARELA
RODAR PIÃO, BOLA DE GUDE CARAMBOLA
BRINCAR DE ESCOLA NA PAREDE DA CAPELA
BEIJO , ABRAÇO OU APERTO EM SUA MÃO ?
O CORAÇÃO QUASE PARAVA NA GOELA

MAS HOJE EM DIA VEJO TUDO DIFERENTE
EU INOCENTE SÓ POSSO ENTÃO CHORAR
VEJO CRIANÇAS QUE NEM CONHECEM BRINQUEDO
EU TENHO MEDO DESTA MODA CONTINUAR
SENDO ADULTAS ANTES DA HORA MARCADA
QUEM SABE UM DIA O TEMPO D ANTIGAMENTE
POSSA PRA GENTE UM BELO DIA ENTÃO VOLTAR

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Vai Boiada Vai – Gerson Amaro / Dr Valdir Amaro

Vai Boiada Vai – Gerson Amaro / Dr Valdir Amaro

Ainda me lembro do meu tempo de criança
Vem na lembrança eu lá na cerca do quintal
Do outro lado era rua boiadeira
Fazia poeira um desfile sem igual
A comitiva conduzindo sua boiada
Que era puxada pelo som de um berrante
Neste momento eu não pensava mais em nada
Vendo a boiada e seu boiadeiro errante

Vai boiada vai
Vai seguindo o estradão
E o boiadeiro ladeando a boiada
Vai cumprindo sua jornada
No dever da profissão

E escutava no berrante conduzindo
Algo tão lindo que jamais me esqueci
Ave Maria , embalando essa passagem
Nesta viagem que hoje recordei aqui
A comitiva apiava no descanso
Em um remanso com comida em fartura
Até recordo o cheiro de alho queimando
Se misturando com a carne na gordura

Vai boiada vai
Vai seguindo o estradão
E o boiadeiro ladeando a boiada
Vai cumprindo sua jornada
No dever da profissão

Hoje não vejo mais o som deste passado
Está calado o herói do meu sertão
Aquela rua boiadeira asfaltada
Já foi tomada num futuro de ilusão
Então me resta no presente a lembrança
Eu bem criança lá na cerca no quintal
Velha saudade , velha rua boiadeira
Deixou poeira no olhos do capiau

Vai boiada vai
Vai seguindo o estradão
E o boiadeiro ladeando a boiada
Vai cumprindo sua jornada
No dever da profissão

domingo, 28 de julho de 2019

VINGANÇA DIVINA – GERSON AMARO



VINGANÇA DIVINA – GERSON AMARO

A vingança é um prato que sempre se come frio
Hoje conto um a historia que me causa arrepio
A vingança de uma moça, e o seu fim muito sombrio
Eu falo de Ana Rosa ...
Uma historia tão famosa ...
Três assassinos doentio

Com o fato consumado , houve então o Julgamento
O Chicuta e o Costinha teve então o livramento
A dinheiro compra tudo , mas livra por um momento
Só um filho de escravo ...
Foi preso, foi desagravo
Mas teve os três tormento

Minigirdo na cadeia logo então padeceu
A prisão foi seu castigo e de varíola morreu
Costinha foi esmagado uma arvore desceu
Mas Chicuta então vivia
A vingança o perseguia
E logo se sucedeu

Chicuta era carreiro e o seu carro então quebrou
Uma roda deste carro meio que se afrouxou
A conserto desta roda , Chicuta não terminou
A vingança ninguém poda
Degolado pela roda
No seu pescoço passou

Dizem que na região a vingança foi a sina
A morte faz seu trabalho ela não é assassina
A balança da justiça só do céu que ilumina
Ana Rosa se vingou
Dos três que então a matou
Numa vingança Divina

sábado, 27 de julho de 2019

Menino da Roça - Gerson Amaro

Menino da Roça - Gerson Amaro

Menino da roça , chegou o seu dia
Mas que alegria eu poder rimas
Sou a testemunha de sua vitoria
Essa sua historia hoje eu vou cantar

O menino da roça , o nosso guerreiro
Brasil por inteiro , caipira de fato
Um cordão cortado , amigo entenda
Nasceu na fazenda , um filho do mato
O menino da roça travou seu destino
E desde menino , defendeu a lida
Suor derramado , sua terra molhando
Sempre encharcando , a poeira da vida

Menino da roça , a sua humildade
Foi sua verdade e também o seu par
Quantas vezes vi a mentira e o dinheiro
Sendo traiçoeiro , querendo o comprar

O menino da roça jamais se vendeu
Ninguém corrompeu este rei do sertão
O ouro falado e a prata pro alto
Não foi o arauto de seu coração
O menino da roça , coroa de palha
A cerca muralha da vida e da sorte
Seu rei carregou a coroa de espinhos
Não teme os caminhos e nem mesmo a morte

Menino da roça , venceu sua batalha
Coroa de palha foi o seu chapéu
Reinado na terra , de que adianta
Quando a alma levanta , subindo ao céu

O menino da roça virou fazendeiro
Mas nunca o dinheiro mudou o menino
Criou os seus filhos , viu netos chegando
E o céu alcançando o momento divino
O menino da roça , encontrou pela frente
O que foi semente , deste seu legado
Jesus foi menino , Rei na manjedoura
E o rei da lavoura , um menino do mato

Homenagem a esta grande Locutora e caipira Lorranna Caixeta





Ela sabe ser Caipira
Gerson Amaro

Ela sabe ser caipira
Ela sabe encantar
Uma moda ela inspira
Com seu jeito de falar
Fecha os olhos pra sorrir
Ela sabe assoviar
Pelo radio faz sentir
Mesmo antes de partir
Faz a saudade brotar

Pelas ondas do destino
Ela sabe navegar
Exaltando o Divino
Fazendo emocionar
Uma moda sem demora
Sertanejo pra tocar
Anunciando a hora
Chama por Nossa Senhora
Pra lhe acompanhar


Pense num anjo sem asa
Com um céu para brilhar
O mundo é sua casa
E o radio é seu lar
Amizade de embira
Duro de arrebentar
A verdade sem mentira
Ela sabe ser caipira
Pelas ondas do meu ar

quarta-feira, 24 de julho de 2019

Lugar Santo Gerson Amaro

Lugar Santo
Gerson Amaro

Eu visitei um lugar santo de verdade
Onde a saudade fala alto e condiz
Eu visitei um asilo na humildade
Onde a idade , as vezes não faz feliz
Mas me doeu uma palavra assim falada
Uma idosa abandonada assim me diz :
“Me sinto triste por eu ser, um tanto faz
Me tira a paz pensar assim , quem tanto fiz “

Como me dói ver um velhinho abandonado
Pois seu passado tem valor aqui pra mim
O meu presente é riscar um ponteado
O meu rimado na caneta é assim
Eu venho então todo domingo visitar
Venho tocar pra muitas rosas no jardim
O Jardineiro do céu sabe bem plantar
Sabe brotar um novo inicio em um fim

Assim espero a minha idade e sem pressa
Essa promessa para sempre vou levar
A minha viola, minhas modas já conversa
Meio depressa ela vai me ensinar
Todo domingo que esta visita eu faço
Ganho abraço que me faz revigorar
Volto pra casa  mais inteiro e não pedaço
Com o meu aço para sempre eu volto lá

O MILAGRE DO VESTIDO GERSON AMARO



O MILAGRE DO VESTIDO
GERSON AMARO

Hoje eu canto mais um causo acontecido
Um milagre ocorrido que a viola vai chorar
Um caso simples que logo me emociona
Hoje ele veio a tona , então resolvi rimar
Uma historia de um casório e uma promessa
Por isso rimei depressa, pra modi testemunhar
Pois o milagre não pode ser escondido
Se achegue, meu amigo pois já vamos começar


Uma menina muito linda e uma casamento
Tão aguardado momento ela iria se casar
Vestido lindo que sua mãe que desenhara
Verdadeira jóia rara , para se eternizar
Mas a promessa justamente era o vestido
Depois do acontecido ele iria viajar
Pra Aparecida então seria levado
Como um muito obrigado, por Maria abençoar

O vai e vem de uma vida de casado
As vezes é apertado e não puderam o levar
Ficou guardado em cima de um guarda roupa
A promessa não é pouca tinha logo de pagar
Um certo dia , bem na frente de sua casa
Dizem que anjos tem asas, mas nesse foram faltar
Uma menina muito pobre então pedia
Se ela então podia da sua vida ajudar

“Fiquei sabendo que tem bem ai guardado
um vestido bem usado e eu quero perguntar
Eu tenho um sonho que é casar na igreja
O meu sonho ainda almeja um vestido eu usar
Então lhe peço , mesmo que seja um sonho
Amiga eu te proponho até um dia lhe pagar”
Mas a menina linda então compadeceu
O vestido ela deu para nunca mais voltar

Passou o tempo e novamente eu te conto
Aconteceu o encontro dez anos a se passar
Duas amiga já com filhos se encontraram
E muito já conversaram e vieram a se falar
Sobre o vestido algo então aconteceu
A promessa percorreu sem elas se combinar
Aquela pobre também tinha prometido
Levar aquele vestido pra Maria abençoar

Hoje o vestido esta guardado numa sala
O milagre então fala a quem hoje o visitar
Vestido branco como o branco de Maria
A pureza e alegria que me faz emocionar
Então termino esta mota e o testemunho
escrevi de próprio punho mas eu quero terminar
Um menina tinha o nome de Maria
e a outra Aparecida , pra sempre vou me lembrar

segunda-feira, 22 de julho de 2019

A letra do caipira ( Gerson Amaro)

A letra do caipira ( Gerson Amaro)

Na minha vida uma letra me persegue
Quem que consegue nesta moda adivinhar
Vou dar a dica e quem sabe se tu acerta
Letra Correta , faz meu Coração pulsar
Eu digo agora nesta moda o que amo
E não reclamo se acaso oce errar
Mas eu começo dizendo que sou Caipira
E o que me insipra a letra vai começar

Carro de boi , as suas peças hoje eu falo
E eu me igualo junto a rima do sertão
Corrente e Corda ,Cabecalho e Candeia
E a Chaveia a Cambota e o Cocão
Canzil e Chapa tem a Canga e Cantadeira
Chapa vermeia Cunha e tambem Cambão
Tudo começa com uma letra somente
Em minha mente tudo rima com Cristão

A mesma letra começa o Candieiro
e o Carreiro na mesma letra irmão
O Alfabeto do caipira então começa
E recomeça com a letra C então
Eu já termino a minha moda consoante
E neste intante peço a sua permissão
Faço um erro na escrita só uma vez
No portugues escrevo errado é Certão !

Descanso Divino Gerson Amaro

Uma moda do jeitão das antigas ...

Descanso Divino
Gerson Amaro

Venho aqui nesta moda
Para um agradecimento
Um milagre em minha vida
Que numa fé é sustento
Escute a minha historia
Uma doença e o lamento
Doença não leva palma
Eu tive o câncer da alma
Doença que é um tormento

A tristeza me abraçou
Pense num abraçamento
Dormia durante o dia
A noite ficava atento
Chorava eu sem razão
Mesmo sem ter sentimento
Não trabalhava um segundo
Chamavam de vagamundo
Quem tava no sofrimento

A medicina então veio
Com todo medicamento
Drogas e drogas sem fim
Me davam feito alimento
Eu era um morto vivo
Doutor e seu argumento
Mas então pra minha sorte
Eu fui livrado da morte
Numa promessa e seu tento

Uma senhora de idade
Fez só em seu pensamento
Se este menino curar
Eu viajo feito o vento
Vou para Maracaí
Fazer o meu juramento
Uma reza pro menino
Que numa tabua dormindo
Sonha em seu sonho Bento

Hoje eu canto esta moda
Para um agradecimento
Hoje em Maracaí
Estou curado e acrescento
A promessa da senhora
Pago neste monumento
Muito obrigado Menino
Mesmo em descanso divino
Me curou neste momento


Fato que aconteceu comigo ... ( Valseado)

sábado, 20 de julho de 2019

Roça Celestial GERSON AMARO

Roça Celestial
GERSON AMARO


Eu fui moldado numa forma diferente
um caipira muito crente que o céu obedeceu
Deus lá no céu, misturou simplicidade
e porção de humildade e um caipira então nasceu
Nasci na roça , sou criado na lavoura
e um rei na manjedoura, nos deixou o seu sinal
Em um estábulo nascia então um rei
e assim eu me igualei, em um parto natural


A minha cruz eu carrego todo dia
também tenho agonia , mas não quero comparar
O sofrimento de Jesus lá no calvário
hoje dentro de um sacrário onde eu posso adorar
A aqui na roça , todo dia as três horas
de joelho a gente ora , pra lembrar de salvação
Misericórdia o caipira sempre pede
Jesus Cristo intercede a Deus Pai minha oração


Cada semente que semeio na mãe terra
o caipira sempre espera , um renovo maternal
Jesus também teve mãe e foi Maria
sim eu lembro todo dia , seis horas é meu normal
Sempre que olho, minha mãe cedo acordando
o café já preparando imagino então Jesus
Vendo sua mãe aos seus pés no sofrimento
vendo o filho padecendo , colocado numa cruz


Mas acontece, todo dia na fazenda
meu amigo me entenda o que canto pra vocês
Não mais importa, nem o escuro nem a noite
e nem todo o açoite , o sol surge toda vez
Jesus retorna todo dia para gente
Sou caipira e sou crente, e aguardo o final
Em um encontro, de um filho que retorna
Seu talento desenforma, na roça celestial

sexta-feira, 19 de julho de 2019

Zé do Boi – GERSON AMARO

Zé do Boi – GERSON AMARO

Na região centro oeste
No estado de são Paulo
Um lugar muito querido
Nesta moda hoje eu falo
A segunda sertaneja
Do jeito que sempre foi
A viola é respeitada
Conheci a violada
Do famoso Zé do Boi

A cidade do alimento
Alimenta o sertanejo
O aço ali domina
Por todo canto que vejo
A janela e a porta
Abre sempre pro sertão
A pureza de Maria
Transformou então Marília
No ventre do coração

A segunda sertaneja
Do jeito que sempre foi
A viola é respeitada
Conheci a violada
Do famoso Zé do Boi

Juntar todos os amigos
Para então lá conhecer
Este lugar tão famoso
Formoso por merecer
O amigo Zé do boi
Recebe na humildade
A viola ninguém poda
Vou saindo desta moda
Já deixando uma saudade

A segunda sertaneja
Do jeito que sempre foi
A viola é respeitada
Conheci a violada
Do famoso Zé do Boi

quinta-feira, 18 de julho de 2019

Arrependimento

Arrependimento
Gerson Amaro

Ela se arrependeu ...
De me mandar embora
Hoje então ela chora
E pede pra voltar ...

Ela se arrependeu ...
Diz que foi muito errado
Mas não muda o passado
Pois vou sempre lembrar

O arrependimento
Não é quando se implora...
Não é quando se chora ...
O choro da lembrança

O arrependimento
Não é quando se implora
Não é quando se chora
Mas quando há mudança

WWW.SIMPRAO.COM.BR



SER CHICK É SER SIMPRÃO ! GERSON AMARO

SER CHICK É SER SIMPRÃO !
GERSON AMARO


NOIS É BEM SIMPRÃO DE TUDO
NOIS É CHIQUE MEU IRMÃO
A FAZENDA É NOSSO ESTUDO
O DIPLOMA É MEU SERTÃO
NOIS É BEM SIMPRÃO DE TUDO
NA VIOLA E VIOLÃO
SOU CAIPIRA E SOU CABOCLO
ME ARRUMO E GASTO POUCO
SER CHICK É SER SIMPRÃO !

NO CHURRASCO NOIS SE AJEITA
SAMU TUDO ARRUMADO
A GALERA SE AJUNTA
E DA CONTA DO RECADO
COM PICANHA OU COSTELA
O QUE VALE É O AJUNTADO
A CERVEJA BEM GELADA
SER SIMPRÃO É A PEGADA
SAMO BRUTO E LA DO MATO

NOIS É BEM SIMPRÃO DE TUDO
NOIS É CHIQUE MEU IRMÃO
A FAZENDA É NOSSO ESTUDO
O DIPLOMA É MEU SERTÃO
NOIS É BEM SIMPRÃO DE TUDO
NA VIOLA E VIOLÃO
SOU CAIPIRA E SOU CABOCLO
ME ARRUMO E GASTO POUCO
SER CHICK É SER SIMPRÃO !

A VIOLA TA CHORANDO
TEM MODÃO PRA TODO LADO
É UM CHORO DE ALEGRIA
POR TOCAR NESTE ROÇADO
NOIS É TUDO AGRICULTOR
PRA SEMPRE NOSOS LEGADO
DA ROÇA PRA SUA MESA
NOIS GRITAMO QUE BELEZA
SAMO BRUTO E LA DO MATO

NOIS É BEM SIMPRÃO DE TUDO
NOIS É CHIQUE MEU IRMÃO
A FAZENDA É NOSSO ESTUDO
O DIPLOMA É MEU SERTÃO
NOIS É BEM SIMPRÃO DE TUDO
NA VIOLA E VIOLÃO
SOU CAIPIRA E SOU CABOCLO
ME ARRUMO E GASTO POUCO
SER CHICK É SER SIMPRÃO !

quarta-feira, 17 de julho de 2019

O meu recado – GERSON AMARO



O meu recado – GERSON AMARO



Pé que dá fruta é quem mais leva pedrada
Luz que acende é quem é mais apagada
Toco a viola e sigo sempre minha jornada
A sua inveja faz minha fama camarada

A inveja é uma doença
Mas te desejo melhora
Quanto mais você inveja
Mais seu lado só piora
Inveja tem o sono leve
Sua atenção é enorme
Não sei quem sua vida rege
Mas sei que quem me protege
Com certeza nunca dorme

Pé que dá fruta é quem mais leva pedrada
Luz que acende é quem é mais apagada
Toco a viola e sigo sempre minha jornada
A sua inveja faz minha fama camarada

Inveja é falta de fé
Com o seu potencial
Se focasse em você
Seria até genial
Ninguém inveja o ruim
Nem invejoso também
No pagode dou recado
Já dizia o ditado
Ladrão só rouba de quem tem

Pé que dá fruta é quem mais leva pedrada
Luz que acende é quem é mais apagada
Toco a viola e sigo sempre minha jornada
A sua inveja faz minha fama camarada

sábado, 13 de julho de 2019

Vingança de Sangue ( moda de viola ) Gerson Amaro

Vingança de Sangue ( moda de viola )
Gerson Amaro


A vingança é uma pedra
Que se volta a quem atira
Eu espero sempre em Deus
Ensinamento caipira
Quem coloca neste mundo
Só ele é quem nos tira
Hoje conto esta historia
Da derrota da vitoria
Que hoje a moda inspira


A vingança sei que é doce
Mas amargo é o paladar
Fazendeiro bem famoso
Do irmão quis se vingar
O irmão roubou sua terra
Um pecado pra pagar
Só Deus cobra um errado
A serpente de um pecado
No final Deus vai julgar


Com um trinta carregado
Que a vingança carregou
Fazendeiro num cavalo
A estrada ele pegou
A vingança serve fria
Mas a raiva esquentou
Na porteira derradeira
Só uma bala certeira
Sangue no chão derrubou


Captura avisada
Fazendeiro então correu
Mas foi num galope falso
Que a policia o prendeu
Sem fazenda pra tocar
Na cadeia ele morreu
Agora eu te pergunto
Sem desviar o assunto
Quem será que aprendeu ?


Quem sabe nesta historia
A nossa alma compreende
Na vida do entendedor
Num exemplo se entende
Quem compra sua vingança
Sua alma então vende
A vingança nunca é plena
Mata alma e envenena
Pois quem morre nunca aprende

domingo, 7 de julho de 2019

Mando do Sertão Gerson Amaro



Mando do Sertão
Gerson Amaro

No mês de julho a geada é mais forte
Cada um tem sua sorte neste frio da imensidão
A Juriti com sua asa esbranquiçada
Bem marcada de geada, congelou meu coração
Vejo ao longe todo gado ajuntado
Tentando um esquentado pelo sol no espigão
O pasto branco mostra e força e a certeza
Que pra sempre a natureza é quem manda no sertão


Céu azulado um azul que me encanta
Mas o frio é quem me espanta, me esquento no fogão
em sua taipa me encosto e me aconchego
Pois seu fogo não tem medo da geada pelo chão
A minha lida não espera o momento
De coragem me esquento e saio no estradão
Deus dá o frio conforme nossa coberta
Minha fé sempre tão certa, é quem manda no sertão

Sim sou caipira e entendo a friagem
É apenas a passagem de mais uma estação
Sai o outono inverno e primavera
A roça tudo impera até mesmo no verão
Deus é quem sabe tudo aquilo que preciso
Só no dia do juízo, o encontro dar se então
Muito obrigado, meu Deus sou agradecido
Por aqui eu ter nascido, por ser mando do sertão

quinta-feira, 4 de julho de 2019

Joguei a toalha – GERSON AMARO



Joguei a toalha – GERSON AMARO

Você me desfez
Achou que um trapo humano
Nunca me ouviu quando eu disse te amo
Você me usou , eu fui bobo demais
Cai na armadilha
Fui fraco assim como meu coração
Que se apaixonou só por uma ilusão
Agora esperto eu busco minha paz


Joguei a toalha
Desisto daquilo que nunca foi meu
Sei que na verdade que nunca fui seu
Você me usou e depois jogou fora
Joguei a toalha
Desisto de tudo, não quero mais nada
Foi uma armadilha a pior cilada
Agora sou eu que estou indo embora
Eu Joguei a toalha

Jamais acordei Gerson Amaro

Jamais acordei
Gerson Amaro

Era tudo brincadeira, até sonhar com você
Tentei de toda maneira, de você não perceber
Num bilhete me abri, e você me descobriu
E jamais eu esqueci, quando vi que então sorriu

Aquele sorriso pequeno, me enlouqueceu
Aquele cabelo moreno, me entorpeceu
Foi só um simples bilhete que eu te enviei
Hoje sonho todo dia, jamais acordei

quarta-feira, 3 de julho de 2019

PAGODE DO CONTRARIO – GERSON AMARO

PAGODE DO CONTRARIO – GERSON AMARO


O CONTRARIO HOJE EU CANTO

MAS DE UM JEITO DIFERENTE

SE FOSSE PRA SER IGUAL

NEM TOCAVA PARA FRENTE

QUEM DÁ RÉ É CARANGUEJO

QUE TEM MEDO DA SERPENTE

O VERSO DO INVERSO É TORTO

E O MEU PENSO ENTORTA A GENTE





TUDO JUNTO É SEPARADO

SEPARADO É TUDO JUNTO

JÁ VI MORTO SAIR VIVO

EM UM FILME DE DEFUNTO

TEM QUEM RI DE UMA DESGRAÇA

TEM QUE MUDA DE ASSUNTO

DO JEITO QUE A BANDA TOCA

ACOMPANHO O PRESUNTO




O CONTRARIO HOJE EU CANTO

MAS DE UM JEITO DIFERENTE

SE FOSSE PRA SER IGUAL

NEM TOCAVA PARA FRENTE

QUEM DÁ RÉ É CARANGUEJO

QUE TEM MEDO DA SERPENTE

O VERSO DO INVERSO É TORTO

E O MEU PENSO ENTORTA A GENTE




EU BOTO A MINHA CALÇA

EU CALÇO A MINHA BOTA

NO CONTRARIO DO AVESSO

O AVESSO NUNCA DESBOTA

TEM QUM RI DE UMA TRISTEZA

OUTROS CHORAM NA ANEDOTA

É COMEÇO DO FIM

VENCER COM UMA DERROTA




O CONTRARIO HOJE EU CANTO

MAS DE UM JEITO DIFERENTE

SE FOSSE PRA SER IGUAL

NEM TOCAVA PARA FRENTE

QUEM DÁ RÉ É CARANGUEJO

QUE TEM MEDO DA SERPENTE

O VERSO DO INVERSO É TORTO

E O MEU PENSO ENTORTA A GENTE




O FEIO É TÃO BONITO

QUANDO O AMOR ACONTECE

O AMOR É UMA COISA BOA

MAS NELE TEM QUEM PADECE

TEM QUEM NÃO LEMBRA LEMBRANÇA

TEM GENTE QUE NUNCA ESQUECE

MEU PAGODE FALA ALTO

QUEM ESCUTA EMUDECE




O CONTRARIO HOJE EU CANTO

MAS DE UM JEITO DIFERENTE

SE FOSSE PRA SER IGUAL

NEM TOCAVA PARA FRENTE

QUEM DÁ RÉ É CARANGUEJO

QUE TEM MEDO DA SERPENTE

O VERSO DO INVERSO É TORTO

E O MEU PENSO ENTORTA A GENTE